top of page

sobre

Marina Ribas, nasceu em 78 no Rio de Janeiro, cidade onde vive e trabalha. Sua primeira aula de cor, aos três anos, foi em meio a natureza com seu avô em cachoeiras nas Serras Gerais, e logo teve seu ingresso em escola construtivista. Seguindo o interesse por criação em 98, trabalhou como assistente do arquiteto Hélio Pellegrino, com quem teve a oportunidade de restaurar esculturas, trabalhar com acabamentos de interior extremamente artesanais em arquitetura,  além de garimpar materiais em centros de demolição, ferro velhos, caçambas e antiquários, tanto no Brasil e quanto em Portugal. Nos anos seguintes formou-se em design na PUC-Rio, e seguiu com seu próprio atelier no Leblon em parceria com atual restauradora e conservadora de obras de arte Laura Guimarães. Atua no campo da moda por anos como cenógrafa e designer criativa.

 

Marina fez duas exposições individuais com curadoria de Fábio Szwarcwald, ex presidente da EAV e atual diretor do MAM-Rio, com texto crítico de Ulisses Carrilho, curador da EAV; além de coletivas na Casa Carambola - onde já possuiu atelier e foi artista residente - e na Casa França-Brasil. Em 2020 participou de duas exposições coletivas: Buraco e O que resta?, ambas pela Galeria Paralela, que idealizou. Já participou de diversas exposições no Parque Lage. No inicio de 2020 a artista estava morando em Paris quando teve que retornar ao Brasil devido a pandemia e segue produzindo em seu atelier na Gávea e fomentando a arte feminista pela Galeria Paralela.

clientes

bottom of page